Sudão do Sul: a mais nova e mais cheia de vida selvagem nação do mundo


A mais nova nação do mundo é também a que acolhe algumas das mais incríveis formas de vida selvagem do mundo.
Sudão do Sul, um país sem litoral no leste da África, celebrou sua independência do resto do Sudão recentemente, em 9 de julho. O novo país tem uma riqueza de vida selvagem, incluindo uma das migrações mais longas do mundo animal, que poderia ser uma bênção para sua economia.
A nação sobreviveu décadas de guerra, e vastas áreas de savanas e áreas úmidas permanecem em grande parte intactas.
Para ajudar a garantir que os animais do país continuem a ser um recurso espetacular, a Sociedade de Conservação da Vida Selvagem (WCS, na sigla em inglês) tem colaborado com a gestão do Sudão do Sul para proteger as áreas e organizar o território do país.
O Sudão do Sul possui algumas das populações selvagens mais importantes na África: o Parque Nacional Boma, perto da fronteira com a Etiópia, o pantanal Sudd e o Parque Nacional do Sul, perto da fronteira com o Congo, são o lar de búbalus, cobos-comuns e topis ou damaliscos (espécies de antílope), búfalos, elefantes, girafas e leões.
A parte sudeste do país apoia a segunda maior migração da vida selvagem terrestre do mundo, de cerca de 1,3 milhões de animais como o cobo de orelha branca, tiang, cob-grande-dos-juncais e gazela-albonotata.
Hoje, a exploração de petróleo no Sudão do Sul é responsável por cerca de 98% das receitas da região. Os tesouros da fauna do país podem proporcionar uma oportunidade para uma economia diversificada, baseada em turismo “eco amigo”.
No vizinho Quênia, o turismo contribuiu com cerca de 1,41 bilhões de reais para a economia nacional em 2009. Na Tanzânia, o turismo foi responsável por cerca de 1,69 bilhões de reais no mesmo ano. Se bem gerida, as migrações animais do Sudão do Sul oferecem a oportunidade de criar uma próspera indústria de turismo na mais jovem nação do mundo.[OurAmazingPlanet]