EM BUSCA DE LIDERANÇA
19/06/2011

                                         ELIAS BOELL JÚNIOR

Neste mundo todos andam em busca de liderança, alguns mais e outros menos.Em alguns casos tanto meninas como mulheres pisoteiam os garotos na infância.Problemas como esses em que o menino perde a autoridade, em virtude da imposição do sexo oposto, nasce aí problemas que vêm mais tarde a influenciar a sexualidade do homem. 

Se as meninas ou mulheres são rudes ou antipáticas ao garoto,  há uma grande possibilidade de ele optar por paquerar outros homens quando adulto.Não que ele não entenda que todas as mulheres não são iguais, mas o subconsciente dele absolveu  sem que ele quisesse informações negativas sobre o sexo oposto, no caso o feminino. E isso é irreversível? Não, não é:

 O  garoto que sofreu rejeição ou algo parecido por parte do feminino agora quando homem, precisará  de um esforço maior das mulheres que o desejarem como homem. É preciso que elas sejam muito carinhosas e, o mais difícil de tudo, que elas próprias estejam insistindo constantemente para namorá-los. 

Embora o subconsciente levou-o a  se inclinar à homossexualidade, é reversível e para o sucesso dessa difícil tarefa é preciso que a mulher saiba o histórico do passado, o problema é que geralmente os homens não falam desse assunto, esse é o maior problema, arrancar essas confidências d’ele para então desenvolver um relacionamento muito especial com “ele”, onde exigirá uma sensibilidade ainda maior por parte da mulher.

É possível que um gay venha a se relacionar com uma mulher e casar com ela, ter filhos e viver como um casal normal, mas se o garoto foi oprimido por meninas ou mulheres na infância, é um caso especial e precisa ser encarado com maior observação.Ok?